Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in posts
Search in pages
Portal UFRRJ > INSTITUCIONAL > Notícia > Rural realiza debate sobre os usos medicinais da Cannabis

Rural realiza debate sobre os usos medicinais da Cannabis

 

Foto: Comunicação Proext

 

Texto: Thaís Melo*

Em um momento onde os usos medicinais da Cannabis estão em debate no país, aumenta o número de pessoas que defendem da liberação da erva para usos farmacêuticos. Em julho, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) realizou uma audiência pública para debater a legalização de medicamentos à base de Cannabis. Recentemente, o Ministério da Saúde recomendou que a regulamentação seja restrita apenas para casos graves de epilepsia refratária. No meio de toda essa discussão sobre o tema, aconteceu no dia 22 de agosto na Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ) a palestra “Cannabis medicinal: manejo, fármacos e legislação”. O evento ocorreu no auditório Gustavo Dutra das 13h às 17h.

A abertura da palestra foi feita por Jorge Antônio da Silva, diretor do Senge- RJ, e cordenador adjunto do Fórum Estadual dos Engenheiros Agrônomos (FEEA) Ele destacou que a discussão sobre a Cannabis medicinal é independente das questões que envolvem a Cannabis recreativa. Ele também afirmou que a normatização dos empregos da planta vai muito além do âmbito farmacêutico. “Neste momento nós estamos muito focados na regulamentação da Cannabis no país, e isso envolve a atuação de diferentes profissionais. É uma questão tecnológica, social, econômica e política”, disse o ex- aluno da Rural. 

Foto: Comunicação Proext

O Pró-reitor de extensão Roberto Lelis falou sobre a universidade como espaço aberto para debater diversos temas. “A Universidade tem a obrigação de dar espaço de discussão a qualquer tema. É uma questão de política pública e nós trabalhamos muito o desenvolvimento de tecnologias que visam o desenvolvimento social”, ressaltou o professor. 

O primeiro palestrante foi o pesquisador Dennis Zsolt Santos, do Instituto Vital Brasil, que falou sobre como vai funcionar a produção de Cannabis para o uso medicinal. Não será permitida a venda da planta para pessoas físicas. Apenas pessoas jurídicas poderão dar entrada no pedido de autorização para o cultivo. “Não terá venda avulsa, a venda será apenas para fabricantes autorizados ou para instituições de pesquisa.” A permissão será concedida pela Anvisa, único órgão autorizado a regular plantas psicotrópicas no Brasil. Dennis Santos também destacou que as plantas serão cultivadas da forma mais viável para a produção em larga escala.

As aplicações farmacêuticas da Cannabis foram explicadas pelo professor Douglas Siqueira, do Departamento de Ciências Farmacêuticas da UFRRJ. Segundo ele, a planta é utilizada há mais de 12 mil anos para fazer cordas, devido à resistência de suas fibras. A erva também era utilizada para o tratamento de dor de ouvido e de dente pelos povos antigos em lugares como China e Egito. “Existem relatos da Cannabis sendo utilizada no tratamento da epilepsia cerca de 800 anos a.c.” explicou o palestrante. “A Cannabis é muito mais do que uma produtora de THC (Tetrahidrocanabinol) e de CBD (Canabidiol), é uma espécie medicinal”, ressaltou Douglas Siqueira.

O professor Higino Marcos Lopes, do Departamento de Fitotecnia da UFRRJ, falou sobre outros usos da Cannabis e o cultivo nos Estados Unidos. De acordo com ele, a Cannabis pode ser usada na produção de fibras e na produção de grãos. O professor também dissertou como diversos fatores alteram o qualidade do CBD presentes na planta. “Manejo, luminosidade, cultivo, temperatura, podas, umidade etc. Todos esses fatores vão atuar lá na frente na qualidade do CBD”, explicou.

Após a palestra,  Ingrid Trancoso da Silva, doutoranda na área de Produção Vegetal na Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro (UENF), foi convidada a se juntar aos demais especialistas, para responder às dúvidas dos presentes sobre o tema. 

Conhecendo a Cannabis

Foto: Comunicação Proext

A Cannabis é um gênero de angiospermas que inclui três variedades (espécies) diferentes: Cannabis Sativa, Cannabis Indica e Cannabis Ruderalis. Sendo as duas primeiras as principais. A Sativa se originou em regiões equatoriais vinda de países como Jamaica e México. Já a Indica provém de países como Afeganistão e Índia. Por serem originárias de regiões diferentes os cuidados com cada espécie também são distintos. 

Popularmente conhecida como maconha, a Cannabis usada para fins recreativos é proibida na país, mas ela pode ser utilizada para fins medicinais. O seu uso como medicamento é datado de 2700 a.C., mesmo assim, ainda hoje o uso medicinal da planta é um tabu. Por conta da polêmica em torno do tema, o debate a respeito da regulamentação parece longe de ter um fim. O Ministério da Saúde quer autorizar a utilização de apenas um ativo da Cannabis e para somente uma doença, limitando assim os usos da planta para fins farmacêuticos. Com isso mais pessoas que sofrem de outras doenças terão que entrar na justiça para conseguir o direito de usar remédios à base de Cannabis em seus tratamentos. Além disso, com a regulamentação apenas do Cannabidiol, os outros canabinoides presentes na planta que talvez possam ser úteis para a indústria farmacêutica continuarão a ser proibidos. 

Mais de 480 substâncias são reconhecidas na Cannabis, além de mais de 100 diferentes canabinoides. Ou seja, substâncias químicas que atuam em receptores. A planta tem propriedades anestésicas, pode ser usada no tratamento da epilepsia por diminuir o número de convulsões dos pacientes. Ela também pode ser aproveitada na produção de cosméticos, no tratamento de dores crônicas e para diversas outras finalidades. 

 

(*) Comunicação Proext

Clique aqui para ler uma matéria sobre o desejo da Anvisa de legalizar medicamentos a base de Cannabis.

Clique aqui para ler a matéria sobre o posicionamento do Ministério da Saúde. 

 


Postado em 04/09/2019 - 14:58

Notícias Relacionadas

Inscrições abertas para II Escola de Verão do Instituto de Química

Rural de portas abertas para visitas

Professora da Rural participa do lançamento de cartilha sobre áreas rurais

Professor da UFRRJ coordena projeto de remição de pena através da leitura

Feira da Agricultura Familiar comemora seu terceiro aniversário

Últimas Notícias