Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in posts
Search in pages
Filter by Categories
Acesso Rápido RE
Acesso Rápido RU
Ações de Extensão
Almoço
Alojamento e Convivência
ASSUNTOS ADMINSTRATIVOS
ASSUNTOS ESTUDANTIS
ASSUNTOS FINANCEIROS
Atualizações do Diário Oficial
Auditórias Anuais
Banco de Legislação - Financeiro
Bolsas Assuntos Estudantis
Caderno Extensão
Calendário
Câmara de Extensão
Cantinas
Cardápio do Restaurante Universitário
Carga Horária Diretrizes Curriculares
Centro de Memória
Clipping
COAP
Como Chegar
Como Chegar
Como Chegar
Como Chegar Graduação
Composição Câmara de Graduação
Comunicados Oficiais
Comunicados Oficiais
Comunicados Oficiais
Comunicados Oficiais
Comunicados Oficiais
Comunicados Oficiais
Comunicados Oficiais
Contrato de Obras
CORIN
CPPD
Cursos de Pós-Graduação
DAC
DCF
DEL
Deliberações - CPPD
Deliberações COAP
Desenvolvimento Institucional
Desjejum
DGCC
Diretrizes Curriculares Nacionais
Diretrizes Gerais
DLI
Documentos Fórum das Coordenações
DPPEx
DRCI
Dúvidas Financeiro
Dúvidas Frequentes RE
Dúvidas Frequentes RU
Dúvidas Monitoria Graduação
Editais
Editais
Editais
Editais
Editais
Editais Corin
Editais em Aberto
Editais em Andamento
Editais Fechado
Empresas Juniores
Equipamentos Multiusuários
Equipe
Equipe
Equipe
Equipe
Equipe
Equipe
Equipe e Contatos
Espaços Físicos Comerciais
Estágio Ouvididoria
EXTENSÃO
Extratos de Convênio
Fale Conosco
Fale Conosco
Fale Conosco
Fale Conosco
Fale Conosco
Fale Conosco
Fale Conosco Imprensa
Fale Conosco PROPLADI
Finanças DCF
Formulário Cursos
Formulários - CPPD
Formulários Acadêmicos
Formulários Câmara de Graduação
Formulários COAP
Formulários Cursos Extensão
Formulários DCF
Formulários DP
Formulários Equipe de Trabalho Extensão
Formulários Eventos Extensão
Formulários Monitoria Graduação
Formulários NAAP
Formulários PICDT
Formulários Prefeitura
Formulários Prestação de Contas
Formulários Prestação de Serviços Extensão
Formulários Programas Extensão
Formulários Projetos Extensão
Formulários Publicação Extensão
Formulários STA
Glossário
GRADUAÇÃO
Grupo de Estudo
Grupos PET
Informações para cadastro
informes Mobilidade Acadêmica Intra-campi
Informes Parfor
Iniciação Científica
INSTITUCIONAL
Jantar
Jornal da Graduação
Laboratórios
Lato Sensu
Legislação Docentes
Legislação NULEP
Legislação Ouvidoria
Legislação Técnicos Administrativos
Lei Orçamentária Anual
Leis - CPPD
Links
Links
Links Extensão
Links PARFOR
Links Pós-Graduação
Links úteis NULEP
Links Úteis Servidor
Logotipos
Manuais NULEP
Mão de Obra Terceirizada
Militantes
MOBILIDADE INTRA-CAMPI
MOBILIDADE NACIONAL
Normas
Normas Curso
Normas de Extensão
Normas Financeiro
Notícia
Notícia Destaque
Noticia Pós-Graduação
Notícias
Notícias
Notícias
Notícias Assuntos Estudantis
Notícias CPPD
Notícias da Extensão
Notícias de Cantinas e Espaços Físicos
Notícias Graduação
Notícias Orçamento e Finanças
Notícias Prefeitura
Notícias Rural Semanal
Notícias Servidor
Notícias Servidor S/Imagem
Notícias Terceirizados
Ouvidora
Ouvidoria
PARFOR
PET
Planejamento Institucional
Portal do Serividor
Portarias
Portarias Financeiro
PÓS-GRADUAÇÃO
Práticas Específicas
Pré-Enem Nova Iguaçu
Pré-Enem Seropédica
Prefeitura
Prestação de Contas
Principais Orientações - Coaaf
Principais Orientações - Coapen
Principais Orientações - Cocad
Principais Orientações - Copag
Pró-Reitor Adjunto de Assuntos Adminstrativos
Pró-reitor Adjunto de Assuntos Financeiros
Pró-Reitor Adjunto PROPLADI
Pró-Reitor de Assuntos Administrativos
Pró-reitor de Assuntos Financeiros
Pró-Reitor PROPLADI
Pró-Reitor(a) Adjunto de Assuntos Estudantis
Pró-Reitor(a) Adjunto de Extensão
Pró-Reitor(a) Adjunto de Graduação
Pró-reitor(a) Adjunto de Pesquisa e Pós Graduação
Pró-Reitor(a) de Assuntos Estudantis
Pró-Reitor(a) de Extensão
Pró-Reitor(a) de Graduação
Pró-Reitor(a) de Pesquisa e Pós Graduação
Processo Seletivo Mobilidade Acadêmica Nacional
Processo Seletivo PARFOR
Processo Seletivo PET
PROEXT
Programas
Programas
Projetos PROEXT
PROPLADI
Publicações
Publicações Graduação
Regional ou Cultural
Reitor
Relatórios DCF
Relatórios de Gestão
Religioso ou Ecumênico
Revista Extensão
Rural Semanal
Secretaria Administrativa
Secretaria de Registros Acadêmicos - Solicitações
Secretaria Ouvidoria
Sem categoria
Serviços gerais
Serviços para servidor
Servidor na Mídia
Stricto Sensu
Terceirizados
Treinamentos e Palestras Financeiro
UFRRJ Ciência
Vice-Reitor
Vídeos Imprensa
Portal UFRRJ > INSTITUCIONAL > Notícia > Estudo da UFRRJ avalia impacto das medidas de auxílio emergencial sobre a economia do país

Estudo da UFRRJ avalia impacto das medidas de auxílio emergencial sobre a economia do país

Manutenção de renda mínima para famílias de baixa renda tem gerado receitas para o Governo e impactado positivamente os setores produtivos.

 

Um estudo recente do Programa de Pós-graduação em Economia Regional e Desenvolvimento da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (PPGER/UFRRJ) apontou os impactos da injeção de recursos na economia brasileira através das medidas de auxílio emergencial sobre o Produto Interno Bruto (PIB), a arrecadação do governo e os setores produtivos do país. Adotados no início deste ano, a ampliação do programa Bolsa Família e o socorro emergencial têm como objetivo a garantia de renda de pessoas em situação de vulnerabilidade que perderam renda ou emprego durante a pandemia do coronavírus.

Segundo os pesquisadores, dos 65,2 milhões de indivíduos considerados elegíveis para receber o auxílio emergencial do governo, estima-se que a maioria é composta por pessoas de baixa renda e, consequentemente, com alta propensão marginal a consumir. Isto significa que o recurso pago através dos auxílios são destinados, principalmente, ao consumo de bens e serviços de primeira necessidade – o que, por sua vez, gera um aumento instantâneo na demanda dos setores que os fornecem. Portanto, além de garantir a demanda das famílias (64,5% do PIB), a manutenção da renda dos indivíduos em situação de vulnerabilidade tem gerado receitas para o Governo e impactado positivamente o setor produtivo, amenizando, assim, a queda do PIB.

De acordo com dados do painel de monitoramento dos gastos com COVID-19, até o dia 3 de julho, o Governo Federal já havia injetado R$122,169 bilhões (1,81% do PIB previsto para 2020) de R$257,2 bilhões previstos (3,8% do PIB). Os resultados do estudo mostram que os valores já pagos frearam a queda do PIB em dois pontos percentuais. Caso todo o recurso previsto seja de fato utilizado, o arrefecimento total na retração da economia estimada para este ano será de 4,21 pontos percentuais.

Em relação à receita, com a carga tributária equivalente a cerca de 33% do PIB, o Governo já arrecadou R$36,4 bilhões dos R$122,2 bilhões transferidos às famílias até o momento. Com a utilização de toda a quantia prevista, tal arrecadação poderá chegar até R$78,8 bilhões em forma de impostos e tributos.

O impacto nos setores produtivos

A metodologia utilizada pelos pesquisadores calculou ainda quais setores produtivos mais se beneficiarão com as medidas de auxílio. São eles: o setor de produtos alimentares; de fabricação de bebidas; de produção florestal, pesca e aquicultura; de fabricação de produtos de limpeza, cosméticos/perfumaria e higiene pessoal; de abate e produtos de carne, inclusive os produtos do laticínio e da pesca; de fabricação de produtos farmoquímicos e farmacêuticos; e de confecção de artefatos do vestuário e acessórios.

Diante dos valores já pagos pelo auxílio, a queda desses setores foi amenizada, em média, em 5,39%. No caso da execução de todo o gasto previsto para a garantia de renda mínima às famílias, o baque será reduzido, em média, em 11,35%. Com isso, alguns setores poderão apresentar até mesmo um crescimento em 2020. Os mais beneficiados (alimentos, bebidas e vestuário) estão diretamente relacionados às necessidades de subsistência dos recebedores do auxílio. Logo, em um cenário em que tais medidas não fossem adotadas, a pandemia do coronavírus agravaria ainda mais a vulnerabilidade das famílias brasileiras de baixa renda e, por consequência, a desigualdade social existente no país.

“A principal finalidade do nosso trabalho foi mostrar a importância da garantia de renda das famílias de mais baixa renda tanto para a sobrevivência das mesmas, quanto para mitigar os efeitos da pandemia na própria economia. Além disso, como o PIB brasileiro é puxado pela demanda das famílias, entendemos que as políticas de socorro às famílias devem ser continuadas” conclui Joilson Cabral,  professor do PPGER e autor do estudo. Além dele, os docentes do PPGER Maria Viviana de Freitas, Everlam Elias Montibeler e Caio Chain também assinam a pesquisa.

 

Por João Gabriel Castro, estagiário de jornalismo da Coordenadoria de Comunicação Social (CCS/UFRRJ).

Imagem: Shutterstock.com


Postado em 16/07/2020 - 15:39

Notícias Relacionadas

Uma análise da gestão cultural na Baixada Fluminense
Pronasolos avança e tem Universidade Rural como parceira
Deodoro ainda mais quente
Para cuidar melhor das áreas protegidas
Pesquisa da UFRRJ investiga papel de farmacêuticos no combate à Covid-19

Últimas Notícias

Skip to content