Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in posts
Search in pages
Filter by Categories
Acesso Rápido RE
Acesso Rápido RU
Ações de Extensão
Almoço
Alojamento e Convivência
ASSUNTOS ADMINSTRATIVOS
ASSUNTOS ESTUDANTIS
ASSUNTOS FINANCEIROS
Atualizações do Diário Oficial
Auditórias Anuais
Banco de Legislação - Financeiro
Bolsas Assuntos Estudantis
Caderno Extensão
Calendário
Câmara de Extensão
Cantinas
Cardápio do Restaurante Universitário
Carga Horária Diretrizes Curriculares
Centro de Memória
Clipping
COAP
Como Chegar
Como Chegar
Como Chegar
Como Chegar Graduação
Composição Câmara de Graduação
Comunicados Oficiais
Comunicados Oficiais
Comunicados Oficiais
Comunicados Oficiais
Comunicados Oficiais
Comunicados Oficiais
Comunicados Oficiais
Contrato de Obras
Coordenador de Comunicação Social
CORIN
CPPD
Cursos de Pós-Graduação
DAC
DCF
DEL
Deliberações - CPPD
Deliberações COAP
Desenvolvimento Institucional
Desjejum
DGCC
Diretrizes Curriculares Nacionais
Diretrizes Gerais
DLI
Documentos Fórum das Coordenações
DPPEx
DRCI
Dúvidas Financeiro
Dúvidas Frequentes RE
Dúvidas Frequentes RU
Dúvidas Monitoria Graduação
Editais
Editais
Editais
Editais
Editais
Editais Corin
Editais em Aberto
Editais em Andamento
Editais Fechado
Empresas Juniores
Equipamentos Multiusuários
Equipe
Equipe
Equipe
Equipe
Equipe
Equipe
Equipe e Contatos
Espaços Físicos Comerciais
Estágio Ouvididoria
EXTENSÃO
Extratos de Convênio
Fale Conosco
Fale Conosco
Fale Conosco
Fale Conosco
Fale Conosco
Fale Conosco
Fale Conosco Imprensa
Fale Conosco PROPLADI
Finanças DCF
Formulário Cursos
Formulários - CPPD
Formulários Acadêmicos
Formulários Câmara de Graduação
Formulários COAP
Formulários Cursos Extensão
Formulários DCF
Formulários DP
Formulários Equipe de Trabalho Extensão
Formulários Eventos Extensão
Formulários Monitoria Graduação
Formulários NAAP
Formulários PICDT
Formulários Prefeitura
Formulários Prestação de Contas
Formulários Prestação de Serviços Extensão
Formulários Programas Extensão
Formulários Projetos Extensão
Formulários Publicação Extensão
Formulários STA
Glossário
GRADUAÇÃO
Grupo de Estudo
Grupos PET
Informações para cadastro
informes Mobilidade Acadêmica Intra-campi
Informes Parfor
Iniciação Científica
INSTITUCIONAL
Jantar
Jornal da Graduação
Jornalista
Laboratórios
Lato Sensu
Legislação Docentes
Legislação NULEP
Legislação Ouvidoria
Legislação Técnicos Administrativos
Lei Orçamentária Anual
Leis - CPPD
Links
Links
Links Extensão
Links PARFOR
Links Pós-Graduação
Links úteis NULEP
Links Úteis Servidor
Logotipos
Manuais NULEP
Mão de Obra Terceirizada
Militantes
MOBILIDADE INTRA-CAMPI
MOBILIDADE NACIONAL
Normas
Normas Curso
Normas de Extensão
Normas Financeiro
Notícia
Notícia Destaque
Noticia Pós-Graduação
Notícias
Notícias
Notícias
Notícias Assuntos Estudantis
Notícias CPPD
Notícias da Extensão
Notícias de Cantinas e Espaços Físicos
Notícias Graduação
Notícias Orçamento e Finanças
Notícias Prefeitura
Notícias Rural Semanal
Notícias Servidor
Notícias Servidor S/Imagem
Notícias Terceirizados
Ouvidora
Ouvidoria
PARFOR
PET
Planejamento Institucional
Portal do Serividor
Portarias
Portarias Financeiro
PÓS-GRADUAÇÃO
Práticas Específicas
Pré-Enem Nova Iguaçu
Pré-Enem Seropédica
Prefeitura
Prestação de Contas
Principais Orientações - Coaaf
Principais Orientações - Copag
Pró-Reitor Adjunto PROPLADI
Pró-Reitor PROPLADI
Pró-Reitor(a) Adjunto de Assuntos Estudantis
Pró-Reitor(a) Adjunto de Extensão
Pró-Reitor(a) Adjunto de Graduação
Pró-reitor(a) Adjunto de Pesquisa e Pós Graduação
Pró-Reitor(a) de Assuntos Estudantis
Pró-Reitor(a) de Extensão
Pró-Reitor(a) de Graduação
Pró-Reitor(a) de Pesquisa e Pós Graduação
Processo Seletivo Mobilidade Acadêmica Nacional
Processo Seletivo PARFOR
Processo Seletivo PET
PROEXT
Programas
PROPLADI
Publicações
Publicações Graduação
Regional ou Cultural
Reitor
Relatórios DCF
Relatórios de Gestão
Religioso ou Ecumênico
Revista Extensão
Rural Semanal
Secretaria Administrativa
Secretaria de Registros Acadêmicos - Solicitações
Secretaria Ouvidoria
Sem categoria
Serviços gerais
Serviços para servidor
Servidor na Mídia
Stricto Sensu
Terceirizados
Treinamentos e Palestras Financeiro
UFRRJ Ciência
Vice-Reitor
Vídeos Imprensa
Portal UFRRJ > INSTITUCIONAL > Notícia > Pesquisa com erva-cidreira pode beneficiar pequenos agricultores da Baixada Fluminense

Pesquisa com erva-cidreira pode beneficiar pequenos agricultores da Baixada Fluminense

Programa de Melhoramento Genético da Universidade identificou genótipo de erva-cidreira brasileira quimicamente estável e altamente produtivo durante duas estações do ano

 

Por João Gabriel Castro (*)

A erva-cidreira brasileira (Lippia alba) é uma espécie nativa, amplamente distribuída pelo Brasil, e popularmente conhecida por suas propriedades medicinais. Graças à sua vasta diversidade genética, a Lippia alba possui uma enorme variação química quanto ao seu óleo essencial. Por isso, além de servir de matéria-prima para a indústria farmacêutica, essa espécie também é explorada na produção de alimentos e na fabricação de cosméticos e perfumes.

Esses mercados consumidores demandam que a produção da matéria prima vegetal atenda a um padrão de qualidade. Ou seja, a planta cultivada deve apresentar estabilidade química e, ao mesmo tempo, produzir grande quantidade de princípio ativo. Para garantir que o produtor atenda às exigências feitas pela indústria e pelo comércio quanto à qualidade e eficácia dos produtos, pesquisadores de todo o país têm desenvolvido diferentes estudos com variados tipos químicos de erva-cidreira brasileira focados no cultivo, manejo, colheita e pós-colheita.

Na Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ), destaca-se o Programa de Melhoramento Genético com foco em plantas medicinais e/ou aromáticas, coordenado pelo professor Pedro Corrêa Damasceno-Junior  do Departamento de Fitotecnia, Instituto de Agronomia. Este programa tem como objetivo principal gerar cultivares, isto é, plantas que apresentam características superiores que as destacam das outras da mesma espécie.

Através do Programa de Melhoramento, uma equipe multidisciplinar de pesquisadores da Universidade realizou um estudo de genótipos de erva-cidreira brasileira (tipo químico citral) pertencentes à coleção de germoplasma do Departamento de Fitotecnia da UFRRJ.

A Lippia alba de tipo químico citral produz o componente citral, que é um óleo essencial de aroma cítrico e doce. Na indústria, o citral possui diferentes aplicabilidades: em alimentos, é utilizado como aromatizante de comestíveis e bebidas (refrigerantes, doces, balas e sorvetes). Já na fabricação de perfumes, o citral é o responsável pelo efeito cítrico da fragrância.

“Existe um grande problema com plantas aromáticas e produtos naturais de um modo geral que é a dificuldade de manter a estabilidade da produção e da qualidade deles. Cada planta precisa ser estudada porque cada uma responde de um jeito. Então, o primeiro passo foi entender a produção da planta, como ela se mantém ao longo das estações do ano. E, logo após, verificamos a qualidade do óleo essencial produzido por ela, por se tratar de um produto natural com maior valor agregado do que só a planta em si”, explica Marco André Soares, professor do Departamento de Bioquímica do Instituto de Química, responsável pela caracterização química dos óleos essenciais analisados na pesquisa.

Ainda segundo Marco André, trabalhar com uma espécie nativa foi uma escolha importante e estratégica. “A erva-cidreira brasileira é uma planta perene, ela tem um ciclo de vida longo e tolerante às nossas condições ambientais. Então, o cultivo dela é menos complicado. É importante aproveitar o potencial químico e genético da nossa biodiversidade porque a gente evita trazer para o nosso ambiente plantas adaptadas a outras regiões que talvez não tenham um desempenho tão bom e produtivo assim”, explica.

As etapas da pesquisa

O cultivo e a coleta da Lippia alba foram o primeiro estágio da pesquisa, do qual foram extraídos descritores (características) quantitativos e qualitativos da planta, como por exemplo, seu hábito de crescimento e sua produção de biomassa. Na etapa seguinte, foram feitas avaliações referentes às análises de DNA e dos óleos essenciais da planta e seus princípios ativos. Os dados gerados nesta etapa foram posteriormente submetidos à uma série de análises estatísticas que relacionaram as variáveis dos princípios ativos aos aspectos morfológicos/agronômicos de produção da planta. Com isso, foi possível obter parâmetros genéticos que apontaram para os vegetais com maior potencial para gerar uma progênie (planta descendente com as mesmas características genéticas de sua genitora) e dar continuidade aos estudos, ou ser utilizada na produção agrícola imediata.

Através do Índice de Estabilidade do Perfil Químico do Genótipo – ferramenta estatística inédita desenvolvida pelo professor Pedro Damasceno para calcular a estabilidade química da planta durante a época de seu cultivo –, foi identificado o genótipo UFRRJ ECB005 de erva-cidreira brasileira que, durante as estações inverno e verão, apresentou maior produção e estabilidade do perfil químico dos óleos essenciais, incluindo alta concentração de citral e excelente produção de biomassa entre todos os genótipos analisados.

 

Plantação experimental de erva-cidreira. Imagem: arquivo

Pesquisa com foco nos pequenos agricultores 

De acordo com o professor, para além dos diferentes setores da indústria, a descoberta desse genótipo pode ter um impacto significativo para os pequenos agricultores da Baixada Fluminense. “O nosso foco aqui sempre são os pequenos agricultores e a agricultura familiar. Todos os programas de melhoramento são localizados. O que desenvolvemos aqui é voltado principalmente para a Baixada Fluminense. Um impacto social que esperamos é que, daqui a pouco, a gente tenha agricultores daqui gerando renda com a produção dessa planta de alta qualidade selecionada para esse local”, afirma.

Com duração total de sete anos, o estudo contou, ao longo do tempo, com a colaboração de alunos do Programa de Pós-Graduação em Fitotecnia, do Departamento de Química e Departamento de Fitotecnia da Universidade. Além disso, a pesquisa teve o apoio financeiro das principais agências de fomento à pesquisa do país (Capes, Faperj e CNPq).

Em novembro de 2019, as conclusões da primeira parte do estudo foram publicadas em formato de artigo científico pela revista Industrial Crops and Products, publicação internacional com foco em culturas e produtos agrícolas bem conceituada nas áreas agrárias.

Para o coordenador do projeto, o próximo passo é dar continuidade ao Programa de Melhoramento trabalhando com outras espécies de planta: “Ainda tem muita coisa a ser feita. As dificuldades que nós temos não estão sendo um fator limitante para a produção de nossas pesquisas. Mesmo em tempos de crise, o pesquisador brasileiro não deixa de produzir. Acho que essa é a normalidade dentro de uma universidade federal. E nós estamos dentro de um padrão de qualidade, tanto é que estamos publicando numa revista internacional. A qualidade vai muito bem, obrigado!”.

 

(*) Estagiário de jornalismo científico da Coordenadoria de Comunicação Social (CCS/UFRRJ)

 

Leia as outras notícias sobre pesquisa e divulgação de pesquisas da UFRRJ no link http://portal.ufrrj.br/institucional/pesquisa-e-divulgacao/


Postado em 02/04/2020 - 12:49

Notícias Relacionadas

Pesquisa da UFRRJ investiga papel de farmacêuticos no combate à Covid-19
Estudo da UFRRJ avalia impacto das medidas de auxílio emergencial sobre a economia do país
Tremor de terra em Seropédica não deve preocupar moradores
Catálogo apresenta diversidade de aves no CTUR
Herbário da UFRRJ colabora com publicação do Jardim Botânico do Rio de Janeiro

Últimas Notícias

Skip to content