Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in posts
Search in pages
Filter by Categories
Acesso Rápido RE
Acesso Rápido RU
Ações de Extensão
Almoço
Alojamento e Convivência
ASSUNTOS ADMINSTRATIVOS
ASSUNTOS ESTUDANTIS
ASSUNTOS FINANCEIROS
Atualizações do Diário Oficial
Auditórias Anuais
Banco de Legislação - Financeiro
Bolsas Assuntos Estudantis
Caderno Extensão
Calendário
Câmara de Extensão
Cantinas
Cardápio do Restaurante Universitário
Carga Horária Diretrizes Curriculares
Centro de Memória
Clipping
COAP
Como Chegar
Como Chegar
Como Chegar
Como Chegar Graduação
Composição Câmara de Graduação
Comunicados Oficiais
Comunicados Oficiais
Comunicados Oficiais
Comunicados Oficiais
Comunicados Oficiais
Comunicados Oficiais
Comunicados Oficiais
Contrato de Obras
Coordenador de Comunicação Social
CORIN
CPPD
Cursos de Pós-Graduação
DAC
DCF
DEL
Deliberações - CPPD
Deliberações COAP
Desenvolvimento Institucional
Desjejum
DGCC
Diretrizes Curriculares Nacionais
Diretrizes Gerais
DLI
Documentos Fórum das Coordenações
DPPEx
DRCI
Dúvidas Financeiro
Dúvidas Frequentes RE
Dúvidas Frequentes RU
Dúvidas Monitoria Graduação
Editais
Editais
Editais
Editais
Editais
Editais Corin
Editais em Aberto
Editais em Andamento
Editais Fechado
Empresas Juniores
Equipamentos Multiusuários
Equipe
Equipe
Equipe
Equipe
Equipe
Equipe
Equipe e Contatos
Espaços Físicos Comerciais
Estágio Ouvididoria
EXTENSÃO
Extratos de Convênio
Fale Conosco
Fale Conosco
Fale Conosco
Fale Conosco
Fale Conosco
Fale Conosco
Fale Conosco Imprensa
Fale Conosco PROPLADI
Finanças DCF
Formulário Cursos
Formulários - CPPD
Formulários Acadêmicos
Formulários Câmara de Graduação
Formulários COAP
Formulários Cursos Extensão
Formulários DCF
Formulários DP
Formulários Equipe de Trabalho Extensão
Formulários Eventos Extensão
Formulários Monitoria Graduação
Formulários NAAP
Formulários PICDT
Formulários Prefeitura
Formulários Prestação de Contas
Formulários Prestação de Serviços Extensão
Formulários Programas Extensão
Formulários Projetos Extensão
Formulários Publicação Extensão
Formulários STA
Glossário
GRADUAÇÃO
Grupo de Estudo
Grupos PET
Informações para cadastro
informes Mobilidade Acadêmica Intra-campi
Informes Parfor
Iniciação Científica
INSTITUCIONAL
Jantar
Jornal da Graduação
Jornalista
Laboratórios
Lato Sensu
Legislação Docentes
Legislação NULEP
Legislação Ouvidoria
Legislação Técnicos Administrativos
Lei Orçamentária Anual
Leis - CPPD
Links
Links
Links Extensão
Links PARFOR
Links Pós-Graduação
Links úteis NULEP
Links Úteis Servidor
Logotipos
Manuais NULEP
Mão de Obra Terceirizada
Militantes
MOBILIDADE INTRA-CAMPI
MOBILIDADE NACIONAL
Normas
Normas Curso
Normas de Extensão
Normas Financeiro
Notícia
Notícia Destaque
Noticia Pós-Graduação
Notícias
Notícias
Notícias
Notícias Assuntos Estudantis
Notícias CPPD
Notícias da Extensão
Notícias de Cantinas e Espaços Físicos
Notícias Graduação
Notícias Orçamento e Finanças
Notícias Prefeitura
Notícias Rural Semanal
Notícias Servidor
Notícias Servidor S/Imagem
Notícias Terceirizados
Ouvidora
Ouvidoria
PARFOR
PET
Planejamento Institucional
Portal do Serividor
Portarias
Portarias Financeiro
PÓS-GRADUAÇÃO
Práticas Específicas
Pré-Enem Nova Iguaçu
Pré-Enem Seropédica
Prefeitura
Prestação de Contas
Principais Orientações - Coaaf
Principais Orientações - Copag
Pró-Reitor Adjunto PROPLADI
Pró-Reitor PROPLADI
Pró-Reitor(a) Adjunto de Assuntos Estudantis
Pró-Reitor(a) Adjunto de Extensão
Pró-Reitor(a) Adjunto de Graduação
Pró-reitor(a) Adjunto de Pesquisa e Pós Graduação
Pró-Reitor(a) de Assuntos Estudantis
Pró-Reitor(a) de Extensão
Pró-Reitor(a) de Graduação
Pró-Reitor(a) de Pesquisa e Pós Graduação
Processo Seletivo Mobilidade Acadêmica Nacional
Processo Seletivo PARFOR
Processo Seletivo PET
PROEXT
Programas
PROPLADI
Publicações
Publicações Graduação
Regional ou Cultural
Reitor
Relatórios DCF
Relatórios de Gestão
Religioso ou Ecumênico
Revista Extensão
Rural Semanal
Secretaria Administrativa
Secretaria de Registros Acadêmicos - Solicitações
Secretaria Ouvidoria
Sem categoria
Serviços gerais
Serviços para servidor
Servidor na Mídia
Stricto Sensu
Terceirizados
Treinamentos e Palestras Financeiro
UFRRJ Ciência
Vice-Reitor
Vídeos Imprensa
Portal UFRRJ > INSTITUCIONAL > Notícia Destaque > Copama UFRRJ: lugar de pai e mãe é na Universidade

Copama UFRRJ: lugar de pai e mãe é na Universidade

Coletivo completa cinco anos de existência com lutas vencidas, mas ainda um longo caminho pela frente

 

Por Antonio Carlos Comodaro, bolsista da Coordenadoria de Comunicação Social (CCS/UFRRJ); fotografias: Miriam Braz (CCS/UFRRJ) (*)

 

Criado por iniciativa discente, após notícias de possível proibição de crianças nos alojamentos da Universidade, o Coletivo de Pais e Mães (Copama UFRRJ) completou cinco anos de atividades. De sua criação até agora, as alunas não apenas conseguiram autorização para que os filhos pudessem residir com elas durante o período em que estiverem alojadas, como estabeleceram um debate com a comunidade acadêmica sobre a permanência de pais e mães nas universidades.

 

O Copama

 

Cinha Augusto e os gêmeos Arthur e Nicolas

As discussões sobre a permanência de crianças nas dependências dos alojamentos da Rural tiveram início em 2012. Foi neste ano que o Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro recebeu uma denúncia de que haveria crianças residindo nas moradias estudantis.

 

A partir da queixa, foram acionados o Conselho Tutelar e a Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis (Proaes), responsável pelos alojamentos. Inicialmente, a solução encontrada foi a retirada das crianças. Mas isso foi descartado, “não apenas por seu custo social como também pelo transtorno à vida acadêmica das estudantes-mães”, como relata Maurício Fernandes Rocha em sua monografia para conclusão do curso em Ciências Sociais pela UFRRJ. Com o título Creche só não basta: um olhar sobre assistência estudantil, maternidade e gênero nas políticas das Ifes, o trabalho de 2017 analisa as políticas de assistência estudantil nas instituições públicas de ensino superior.

 

Em 2014, houve mobilização em torno do edital, lançado pela Proaes, que tratava do auxílio-creche para pais e mães que abrissem mão da vaga nos alojamentos em troca do benefício. A partir disso, surgiu a ideia de um coletivo que lutasse pela permanência nas moradias não apenas dos discentes como também de seus filhos. Assim nasceu o Copama.

 

“Antes do Coletivo, as mães eram convidadas a se retirarem dos alojamentos quando ficavam grávidas. Elas tinham que deixar os seus filhos com algum parente e voltar para a Universidade para concluir a graduação. O problema é que muitas delas acabavam desistindo”, conta a estudante de Psicologia Rafaela Cecília, integrante do Copama e representante discente no Conselho Universitário (Consu) – além de mãe de Dimitri, de um ano e onze meses.

 

Em pesquisa realizada em 2018 pela Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes), 4,7% dos trancamentos de matrículas ocorrem em decorrência de licença maternidade. Na Rural,  esse número segue a mesma tendência das demais instituições.

 

Conquistas

 

Suelen Ferreira e o filho Miguel (acervo pessoal)

A experiência de se reunir em um coletivo para reivindicar seus direitos foi tão exitosa que outras pautas foram sendo propostas pelo grupo ao longo desses cinco anos.

 

Em 2016, o Copama e a Proaes organizaram o I Fórum de construção de políticas de permanência para discentes pais e mães da UFRRJ. Além de apresentar o Coletivo para a comunidade acadêmica, o objetivo do evento foi, sobretudo, sensibilizar para as dificuldades que gestantes, mães e pais estavam passando.

 

Deu certo. A Proaes reviu o edital para o auxílio-creche – não mais exigindo que as alunas abrissem mão da vaga no alojamento – e abriu discussão para a regularização das crianças.

 

Hoje, as crianças não apenas podem ficar com seus pais nos alojamentos, como existe um prédio especifico (F6) para receber discentes com filhos, mediante inscrição prévia e lista de espera. A lista pode ainda contemplar as “cabeceiras” – quartos individuais – que, além de pais e mães, são reservados para alunos com algum problema de saúde que dificulte sua permanência em um quarto coletivo (clique aqui para acesso à instrução normativa nº 01, de 29 de novembro de 2019).

 

Para entrar na lista de espera dos quartos individuais ou do F6 a mãe não precisa vir até a Rural. “Ela pode enviar um e-mail para o Setor de Residência Estudantil (sere@ufrrj.br), com a cópia da certidão de nascimento do bebê, e estará na lista”, diz Cinha Augusto, conselheira do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (Cepe) e mãe de Gabriel, 20 anos, Renan, 19, e dos gêmeos que residem com ela no alojamento: Arthur e Nicolas, de três anos.

 

Além disso, crianças acompanhadas dos pais até a idade de 12 anos não pagam alimentação no Restaurante Universitário (RU). Uma reivindicação antiga, mas que só foi atendida durante a ocupação dos alunos na Reitoria da Universidade em 2016.

 

“A gente colocou como uma bandeira do Coletivo e em todas as assembleias estudantis a gente tocava nessa tecla. Foi difícil conscientizar os alunos dessa nossa necessidade. Dentro do próprio Coletivo foi difícil. Isso tinha que ser exposto em assembleias com mais de 300 estudantes. Foi o que fizemos”, afirma Suelen Ferreira, graduanda em História e mãe do Miguel, de 9 anos.

 

Presente

 

Cinha Augusto: ‘A gente conseguiu o direito de as mães ocuparem o F6’

Embora a experiência do Copama UFRRJ seja vitoriosa – e presente em três câmpus (Seropédica, Nova Iguaçu e Três Rios) – muitas das reivindicações ainda estão em aberto. As principais demandas do Coletivo hoje são o aumento do tempo de exercício domiciliar, acompanhando o tempo de aleitamento materno obrigatório, que são de seis meses; creche universitária; abono de faltas mediante atestado médico dos filhos; e institucionalização do F6 como “alojamento familiar”. “A gente conseguiu o direito de as mães ocuparem o F6, mas ainda não foi institucionalizado. Não foi votado no Consu”, diz Cinha Augusto.

 

Para o pró-reitor de Assuntos de Estudantis, César Augusto Da Ros, a permanência estudantil é prioridade para a atual administração. “Está pautado para o Consu deliberar. Deve acontecer o mais rápido possível. Faltam alguns detalhes. Falei com o reitor que precisamos dar prioridade para as questões sobre permanência e ele concordou”, garante Da Ros.

 

Como reivindicação que solucionaria boa parte dos problemas dessas mães e pais, a creche universitária é um sonho antigo que é pleiteado muito antes do Copama – e um dos grandes motivos para o Coletivo ter sido criado. Contudo, as sucessivas crises financeiras, cortes de verbas e trâmites burocráticos têm impedido um avanço. “Foi até destinado um espaço para a creche, fica no Caic. Mas, infelizmente, o material está lá, todo degradado com o tempo. A gente não consegue acessar”, disse Suelen.

 

Segundo o pró-reitor Da Ros, o maior embaraço para uma creche dentro do câmpus são os recursos humanos. “Não basta apenas ter o espaço, comprar brinquedos. O grande problema é ter um pessoal qualificado. Para isso, é necessário fazer concurso, o que depende de autorizações que vão além da Universidade”, explica.

 

Com relação ao abono de faltas por doença dos filhos, Suelen Ferreira disse que já tentou falar com os professores. Muitos entendem, mas existem alguns que ainda não se sensibilizam. “Já tive situação do meu filho estar com pneumonia, eu falar com o professor para me liberar e ele disse que não poderia, levaria falta e, consequentemente, reprovaria. Tive que ir embora, não teve jeito”, lamenta Suelen.

 

Por outro lado, há casos como o da estudante de Filosofia Cíntia Matias, que em seu perfil no Facebook saudou a atitude do professor Bruno Bahia (Instituto de Educação/UFRRJ). O docente concedeu um “certificado de filósofo-mirim” ao filho de Cíntia, pela participação do garoto na aulas, sempre ao lado da mãe. “Esse semestre foi um pouco complicado para mim, morando no alojamento com meu filhote e tendo que levar ele a todas as aulas”, relatou a estudante na rede social. “O gesto desse professor maravilhoso ajudou essa mãe ruralina e deixou meu filho muito feliz”.

 

A Pró-Reitoria de Graduação (Prograd) informou que não é possível abonar faltas de alunos mediante atestado médico dos filhos, “devido ao fato dessa especificidade não estar enquadrada dentro da deliberação que trata de justificativas de faltas para a realização de provas de segunda chamada”. De acordo com a Prograd, “oficialmente não existe ‘abono de faltas’, cada estudante tem direito a 25% de faltas e nada mais”.

 

Futuro

 

O Copama agora faz parte de um coletivo que reúne representantes de todo país com foco em políticas para a permanência de pais e mães nas universidades

O grande desafio do Copama no presente, mas principalmente no futuro, é o de divulgá-lo para que cada vez mais mães e pais saibam onde encontrar apoio.

 

“Dentro da Rural, o Coletivo tem algumas atuações. Levamos o Copama para as calouradas, para falar que o lugar de mãe é dentro da Universidade. Temos que estar aqui sempre, resistindo e lutando, porque vivemos uma instituição que reflete o todo da sociedade, marcada pelo patriarcado e machismo”, ressalta Rafaela.

 

Entretanto, o Copama não pretende ficar restrito somente à Rural. O grupo já faz parte de um coletivo nacional que reúne representantes de todo país com foco em políticas para a permanência de pais e mães nas universidades públicas e privadas.

 

“Estamos indo para outros estados. Estive em São Paulo, há alguns dias. Pretendemos levar o Copama para Santa Catarina, no ano que vem, para um congresso sobre gênero, além de debater propostas sobre permanência materna no Fórum de Pró-Reitores de Assuntos Estudantis”, diz Rafaela.

 

(*) Exceto a fotografia com indicação de autoria na legenda.


Postado em 16/12/2019 - 17:14

Notícias Relacionadas

O mal-estar na universidade
Sala de TV: espaço de convivência integra estudantes dos alojamentos
Tecnologia no ambiente acadêmico

Últimas Notícias

Skip to content